Boletim Diário

14/10/2020

Mercado externo

Soja se recupera do tombo da véspera

• As cotações das principais posições da soja no mercado futuro da CBOT subiram, um dia após a maior queda em seis meses reduzir a disposição dos produtores norte-americanos em vender no mercado físico.

• As importações de soja da China subiram em setembro, chegando a 9,79 milhões de toneladas, 1,9% acima de agosto, conforme o país recebe os carregamentos atrasados. Esse número deve ser ainda maior em outubro, conforme a soja dos EUA deve encher ainda mais os armazéns chineses.

• As inspeções de embarques do USDA confirmaram a saída de 2,15 milhões de toneladas dos portos dos EUA, quase 8% acima da semana anterior e mais do que o dobro do total exportado há um ano

Baixa liquidez ainda envolve o mercado

• Após o feriado prolongado, as vendas voltam num ambiente de preços firmes, sem o viés altista que permeou toda a semana passada, devido à baixa liquidez tanto no mercado à vista quanto no mercado a termo.

• As indústrias ficaram mais retesadas com a escalada dos referenciais aos níveis recordes da semana passada, embora suas margens não impeçam a originação de novos volumes.

• As vendas com entrega a partir de março de 2021 são praticamente inexistentes em razão do elevado volume já comercializado e do atraso no plantio, que tende a remanejar a execução contratual de fevereiro, reduzindo ainda mais o espaço para vendas com vencimento no terceiro mês do ano.

Dólar

Noticiário negativo eleva o dólar

• A divisa norte-americana voltou a circundar a marca de R$ 5,60, seguindo o aumento da aversão ao risco no exterior decorrente do noticiário negativo sobre a COVID-19.

• Após França e Reino Unido flertarem com a retomada de medidas mais restritivas de isolamento social, países do leste europeu, que convivem com a irrupção do número de casos de COVID-19, voltaram a mencionar um novo lockdown como iminente. Além disso, o a suspenção dos testes clínicos da vacina da Johnson & Johnson diminuíram o apetite ao risco dos investidores.

• As preocupações dos agentes financeiros com a situação fiscal do Brasil continuaram a ocupar o pano de fundo. Diante desse cenário, o Banco Central voltou a ofertar dólares no spot, impedindo um rali no mercado de câmbio doméstico.

Comentários

• O balanço de oferta e demanda do biodisel passa por constantes ajustes, afetado pelos elevados preços da soja em grão e pelo baixo nível dos seus estoques, dificuldade de compra das indústrias, rápida escalada da demanda a um nível superior ao pré-pandemia e má gestão de suprimento dos distribuidores.

• Em maio, momento da irrupção de casos de COVID-19 no Brasil, a ANP autorizou a elevação da mistura de B11 a B12 para o bimestre jun/jul, mesmo mês em que os volumes arrematados chegaram ao seu menor nível no ano, totalizando 1,013 milhões de m³, 9% a menos que o leilão referente ao bimestre anterior.

• A redução dos volumes arrematados, quando a expectativa antes da crise apontava para um forte aumento relacionado a implementação do B12, evidenciou o posicionamento dos distribuidores: ajustar ao máximo os seus estoques a uma previsão de consumo debilitado pela crise.

Preço Agropan

Soja R$

Soja US$

Milho R$

Milho US$

Dólar

149,00

26,71

64,00

11,47

5,5790

Preço trigo

PH

78 acima

75 a 77,99

72 a 74,99

65 A 71

R$/60kg.

64,00

59,20

48,00

40,80

As opiniões contidas neste relatório são pessoais e não representam em hipótese alguma recomendação para compra e/ou venda de contratos nos mercados futuros e/ou físico.

Boas informações produzem bons negócios

Volfe Umberto Gobbato

Gerente Geral

MATRIZ

Tupanciretã - RS

Av. Padre Roque Gonzales, S/Nº, 98170-000

agropan@agropan.coop.br

55 3272-8900


Desenvolvido por BRSIS